Click Fraud Protection

Tag - publicidade

Google continua imparável graças ao Youtube

Gigante da internet está a crescer a um ritmo impressionante. Segundo trimestre trouxe mais ganhos multimilionários, com a ajuda dos vídeos.

A Google descansou algumas das preocupações dos analistas de Wall Street. A queda das receitas publicitárias por clique tem levantado questões quanto ao futuro da empresa, levando mesmo a algumas previsões pessimistas para os próximos meses.

Ignorando as dúvidas dos especialistas financeiros, a gigante tecnológica continua a apresentar resultados impressionantes. O segundo trimestre deste ano trouxe mais um aumento dos lucros, com o saldo positivo de 3,6 mil milhões de euros a traduzir um crescimento de quase 15% face ao mesmo período do ano passado.

Segundo o Wall Street Journal, o aumento de visualizações e tempo médio gasto pelos utilizadores no Youtube teve um impacto decisivo nos resultados da empresa, tal como o aumento do mercado móvel, onde o domínio da Google também já começa a ser notado.

Os resultados positivos melhoraram, apesar do aumento das despesas da empresa tecnológica em cerca de 10%. O investimento em inovação continua, segundo a liderança da empresa, a ser um dos focos da Google.

Sabia que pode fazer publicidade da sua empresa no youtube? contacte-nos!

Mercado publicitário português cresce em 2014

A Magna Global, unidade de estratégia global do IPG Mediabrands, prevê que o mercado publicitário nacional tenha terminado o ano a crescer entre 8% e 10%.

Após 6 anos de sucessivos decréscimos, em 2014 o mercado publicitário português deverá terminar o ano a crescer entre 8% e 10%.

O Digital voltou a reforçar a sua posição em 2014, com um crescimento de 17,2%, movido pelo mobile e pelos formatos de social media. Em 2015 espera-se que cresça 15,1%, passando a representar 30%.

A Imprensa voltou a ser penalizada a nível global em 2014, com um decréscimo de 4,3% nos jornais e de 7,3% nas revistas. Rádio manteve-se constante (+0.1%), enquanto exterior registou um crescimento de 3,4%.

Fonte: revista Marketeer 06-01-2015